29.4.10

E quando eu penso que finalmente as coisas ocupam seu devido lugar, vem um vento daqueles e simplesmente mostram que nada tem lugar, e leva pra bem longe todas as coisas que acreditei serem indispensáveis para a reorganização dessa bagunça que eu aprendi a chamar de vida.

Enquanto a razão alheia não me permite, a emoção dos outros me põe entraves. E, sem poder escrever minha própria história como bem entendo, fico a mercê das tantas mãos que simplesmente pegam o lápis e escrevem uma linha. Quando quero que escrevam um capítulo inteiro, simplesmente se calam. E quando quero que deixem a primeira palavra pela metade, se tornam verborrágicos e acabam estragando páginas preciosas que eu tinha guardado para momentos especiais.

E vem o vento, leva páginas, traz areia, me cega e eu preciso confiar na minha pobre e indefesa intuição para saber qual caminho seguir.

Saudações!

Decretado pela Rainha de Copas às 08:39 1 comments


28.4.10

Hoje acordei tão confusa que sei que se tivesse que sair de casa trocaria os pés dos sapatos, andaria no lado esquerdo da via, diria boa tarde logo cedo e errava um bom dia durante a tarde, meteria os pés pelas mãos e falaria uma língua que ninguém conhece, nem mesmo eu.

Então lembro-me de alice dizendo para pensar em seis coisas impossiveis antes do café, e eu começo a imaginar meu auto-controle ao seu lado, a sua ausência de censura para todas as vezes que vai falar algo que revele o que está sentindo ou pensando, e tudo que realmente meus olhos queriam ver e meu coração acreditar.

Mas não sou alice. E este não é o pais das maravilhas.

Saudações!

Decretado pela Rainha de Copas às 08:59 0 comments


27.4.10

Como uma criança que ainda não sabe ler, não sei usar o manual que eu mesma me propus a escrever nesses tantos anos de tantos erros e poucos acertos. Sei das regras do jogo, quais as melhores jogadas, o olhar certo, o momento exato. Mas quando meu coração dispara, minhas pernas parecem não conseguir sustentar o peso do corpo, ficam bambas e minha respiração pára.

Durante alguns segundos, meu corpo não obedece à qualquer decisão sensata que eu tenha planejado. É um jogo de sinais que entregam todos os meus sentimentos mais escondidos no lugar menos discreto e totalmente aparente. E no fim eu vejo que não sei brincar de esconde-esconde. E não sei brincar de coisa alguma, a não ser de ser feliz.

Saudações!

Decretado pela Rainha de Copas às 18:53 0 comments


Para aquele que acreditar ser uma praia o perfeito cenário pra um tranquilo dia longe de qualquer interrogação ou exclamação: redondo engano. Pra mim, esse cenário é recheado de três pontos.

Perdida como se a deriva num mar cheio de tubarões estivesse, eu simplesmente não me encontro meio a pensamentos e decisões e areia e dunas e todo o resto. Meus pés afundam cada vez mais nesse imenso horizonte de incerteza, ficando cada vez mais dificil sair e buscar abrigo atrás de qualquer muro que evite que esse vento tão forte me leve pra longe do meu destino.

Mas aqui não há muros. E com minhas próprias forças preciso lutar contra e conseguir caminhar. Só não sei ainda pra onde.

Saudações!

Decretado pela Rainha de Copas às 11:26 0 comments


26.4.10

Eu estou mesmo começando a me perguntar pra que servem os muros que construimos ao nosso redor. Não sei se nos protegem ou nos prendem.

Fico pensando que essa brincadeira de buscar abrigo em algum lugar seguro onde [supostamente] o sofrimento não pode nos atingir é mesmo uma bobagem sem tamanho, afinal não há como viver assim. É como querer provar do café sem sentir o quente.

E nessa brincadeira, acabo não construindo nada. Prefiro viver, cair, levantar. Porque é cada passo, cada sorriso, cada vez sigo em frente que me faz saber dar ainda mais valor ao cheiro de chuva com pés quentinhos em uma rede num fim de tarde de domingo.

Saudações!

Decretado pela Rainha de Copas às 13:32 0 comments


25.4.10

Como alguém que passou meses sem mover as pernas, estou aprendendo de novo. Cada passo, cada minuto, cada olhar e cada ansiedade que deve ser controlada.

E, mesmo quando tropeço e caio, aprendo. Quando consigo, comemoro. Em silencio, pra que você não perceba o quão eu me contento com pouco e fico tão feliz com o minimo. Porque eu acho mesmo que a felicidade mora nos cantos e nos detalhes de um dia que não teve nada de extraordinário, mas teve tudo de especial.

Mas o que me cansa é essa brincadeira de vivo ou morto. Não sei onde mora a vontade, a saudade. Não sei se a indecisão vai virar uma interrogação um dia, ou se ela vai embora junto com todas as palavras ditas e não ditas que, no fim, acabam sendo em vão.

Mas ao menos eu terei reaprendido a caminhar com minhas próprias pernas.

Saudações!

Decretado pela Rainha de Copas às 16:32 0 comments


23.4.10

Não sou um bom pirata, daqueles que enterra seu tesouro no lugar mais inóspito do planeta, em uma ilha deserta desconhecida e esconde bem o único mapa que pode levar a descoberta dos seus bens mais preciosos.

Não sou um bom pirata. Não me acabo no rum, nem fujo do primeiro olhar que demora mais de três segundos. Não sei guardar meu ouro. Eu o pego, arrumo numa bandeja e entrego, assim de "mão beijada" e não recebo nem a mão e nem o beijo em troca.

E nao adianta rasgar o mapa, tomar todo o rum que encontrar pela frente. É simplesmente hora de levantar âncora e sair pelos sete mares buscando três segundos ininterruptos de olhar que mereçam meu ouro, minha mão e meus beijos.

Saudações!

Decretado pela Rainha de Copas às 09:39 1 comments


22.4.10

Eu queria dizer que tenho certeza de todas as coisas, que minha vida é um conto de fadas e que nada por aqui sai dos trilhos sem que seja da minha própria vontade. Queria poder dizer que o amor é simples e que a vida mais parece um daqueles carrosséis dos parques de diversões da nossa infância: basta segurar firme, você acaba não tendo que se preocupar onde vai parar, basta se importar em aproveitar o caminho.

Mas não é. Estamos todos presos a carrinhos de uma montanha russa cheia de subidas, descidas, loops e o freio fica por conta de um maquinista que não nos ouve e nem sequer tem piedade. Para os que gostam de emoções fortes, ótimo. Mas para os apaixonados por calmaria, apertem os cintos e agarrem-se às emoções mais profundas e sinceras do seu coração.

Saudações!

Decretado pela Rainha de Copas às 10:37 0 comments


20.4.10

E quando eu penso que a vida tá se encaixando e meu sorriso tá criando raiz, vem um temporal daqueles de fazer virar o barco e deixa tudo de pernas pro ar.

E o que era bom, fica cinza. E o que era música se torna um silencio ensurdecedor acompanhado de espera e angustia. São palavras que geram um misto de simplesmente não saber o que fazer, falar e nem pra onde ir.

Mas o engraçado é que com a mesma rapidez que se juntam as nuvens cinzas no meu céu, também elas vão embora e trazem um começo de dia ensolarado cheio de novas chances de sorrir e ser feliz.

Saudações!

Decretado pela Rainha de Copas às 12:03 4 comments


18.4.10

Imaginem comprar uma linda cartolina branca, tinta e pincéis novos. Você vai pra varanda e começa a pintar. Tudo parece perfeito e até os pássaros insistem em cantar uma agradável melodia que você tem a impressão de já ter escutado em dias felizes de uma infância não tão distante. O céu é azul, as cores se misturam no branco do papel tão harmoniosamente que a beleza daquele cenário deveria mesmo ser eternizada juntamente com aquele sentimento de leveza que embriaga acompanhado de um sorriso.

E vem a chuva. Molha, borra. Estraga. Acaba.

Saudações!

Decretado pela Rainha de Copas às 23:34 4 comments


E creio mesmo estar enoluquecendo. Converso com o tempo, espero respostas vindas do nada e me agarro em palavras soltas no vento que não passa mais por aqui. É uma confusão de sentimentos, ansiedades que me fazem querer ver o tempo passar correndo por uns dias e parar em outros. É uma luta travada e perdida com os ponteiros do relógio.

Mas já sou veterana em lutas em vão, em olhares perdidos e esperas intermináveis. O costume me fez forte e a esperança me fez incansável. Por isso continuo, espero, enlouqueço. E me perco. Te acho, me encontro e até mesmo tanta loucura passa a, finalmente, ter sentido.

Saudações!

Decretado pela Rainha de Copas às 10:21 1 comments


16.4.10

Na verdade, acho que a vida é sempre esse ciclo vicioso de sorrisos e lágrimas que nos fazem acreditar [ou não] em bruxas, principes encantados e maçãs envenenadas. Acho que quanto tempos demoramos para escrever as linhas desse livro que faz a nossa vida, nos pinta mais ou menos cautelosos em relação aos passos que damos nessa estrada de ladrilhos amarelos.

Acho que não importa se no alto de uma torre ou no calabouço de um castelo, estamos sempre esperando por esse felizes para sempre, que acabamos nos esquecemos de ser feliz hoje. De cantar com os animais enquanto arrumamos as camas e brindamos à vida. De brincar com os móveis que parecem estar vivos na sala de estar. Esquecemos de espalhar sorrisos por ai e encantar até mesmo o mais encantados dos espelhos mágicos.

E no fim das contas, o que importa é fazer do nosso mundo o pais das maravilhas e deixar que o tempo se encarregue do resto. Deixa o coelho chamar, não se apresse. Aproveite o agora. Seja feliz hoje.

Saudações!

Decretado pela Rainha de Copas às 23:14 0 comments


15.4.10

Saudade é mesmo essa angustiante contagem dos segundos que insistem em não querer passar nos dias mais cinzas em que o céu não decide se faz chover ou se deixa o sol vingar.

Saudade é quando a noite demora pra chegar, o sono insiste em não aparecer e nada de interessante consegue nos entreter seja em qualquer lugar.

Saudade é esse não sei o que que faz morada sempre que você sai pela porta e diz que "volta já", mas não deixa nada pra esquentar os pés nesses dias que mesmo que faça sol, não há calor. É só vontade, saudade.

Saudações!

Decretado pela Rainha de Copas às 21:33 1 comments


Se eu pudesse me desenhar hoje, eu não sei bem que desenho usaria, mas sei bem que cores não usar. Não usaria nada preto. Acho que o branco do papel merecia cores mais alegres do que simplesmente aquele buraco negro que nos tira toda a energia que eu tenho pra distribuir pelos cantos desse mundo.

Se eu pudesse me transformar em algum animal hoje, eu não sei bem que animal eu seria, mas sei bem que morcegos e cobras não fariam parte do zoologico que eu sei que é a minha vida com todos os sons de passaros e cantos de baleias e golfinhos.

Se eu pudesse ser um outro alguém, eu queria ser aquela que eu vejo quando me olho no espelho. Porque mesmo com todas as minhas angustias, ansiedades, vontades, frustrações, meu sorriso, minhas cores, meus sons me fazem nem sequer ter tempo de pensar em preto, cinza, morcegos ou qualquer outra coisa que não seja, simplesmente, feliz.

Saudações!

Decretado pela Rainha de Copas às 12:48 1 comments


8.4.10

Tem momentos em que as palavras simplesmente se escondem atrás da primeira porta que encontram ou se encolhem dentro de um baú antigo que eu nem lembrava que ficava naquele quarto que eu nem entro mais. Elas foram e eu fico aqui olhando pro nada pensando sobre as horas que eu poderia ter dito tanta coisa mas não sabia, simples assim, o que dizer.

Talvez fôssem mesmo tais instantes feitos para o silêncio e eu, com minha mania desenfreada de pintar tudo com letras e números e conceitos e justificativas, pensei [em vão] em como tentar explicar ou demonstrar compreender o que se passava nos centimetros que separavam os teus olhos dos meus.

Mas eu não consigo. Meu sorriso escapa, meus olhos brilham e aquela transparência inevitável surge. É mais um daqueles segundos que se eu pudesse, emoldurava e fazia questão de estudar todos os dias.

Saudações!

Decretado pela Rainha de Copas às 12:55 0 comments


5.4.10

Eu preciso fazer tudo ao mesmo tempo pra não ter tempo de pensar em o que fazer com o tempo que falta pra só ter você no meu tempo pra fazer. Preciso ocupar os segundos e as paisagens que os meus olhos vão ver nos próximos segundos já que não é o meu daqui a pouco que será só você.

Porque dos meus segundos mais ansiosos, saber que a calma do teu peito e a serenidade do teu sorriso é meu próximo amanhã [ou depois de amanhã], eu pinto o meu céu da cor que eu quiser, coloco estrelas até no chão, me pinto com meu melhor pincel e saio correndo pra te ver.

E eu sei, meu coração sai pela boca e vai correndo na frente, mas eu chego. Me espera.

Saudações!

Decretado pela Rainha de Copas às 19:39 0 comments


2.4.10

Saber que cabe em apenas uma mão o que nos separa é quase tão bom quanto não restar nada. Porque nesse exato momento, o bater de asas das borboletas que fazem moradia aqui dentro se confundem com o bater acelerado de um coração que nem sabe direito se fica no meu peito ou se sai correndo pela boca buscando a tranquilidade dos teus olhos e a calma da tua mão quando aperta a minha. E tudo isso, toda essa inquietude é o que me segura com minhas lembranças e me traz a paciencia que eu não tenho para esperar. Que passem os cinco e não reste nada. E sejamos só nós, num tempo que é nosso e os ponteiros não podem mais separar.

Saudações!

Decretado pela Rainha de Copas às 13:59 0 comments


1.4.10

A única mentira que eu pensei em contar hoje e não contei foi a de que eu queria não me apaixonar por você. Mas então eu percebi que seria uma mentira tão óbvia que você riria de mim e eu, com cara de boba, ia me perguntar porque gastei minhas fichas numa aposta sabendo que não ganharia. Porque eu iria começar a rir e entregar a mentira do dia.

A única mentira que eu contei hoje foi a de que tenho medo de me apaixonar por você. Não por não ter medo [pois esse medo faz parte da pessoa que eu sou, com você ou não], mas pelo simples fato de que me apaixonar por você é algo impossível de vir a fazer a parte do meu futuro, visto que é pretérito, é fato consumado.

A única mentira que eu queria escutar hoje é a de que você é apaixonado por mim. Porque hoje, pelo menos hoje, você diria, não seria maldade e eu ia fazer questão de esquecer que 1° de abril é o dia de enganar mocinhas bobas como eu.

Saudações!

Decretado pela Rainha de Copas às 20:51 0 comments


A Rainha



menina de vinte poucos.
que viveu muito em pouco.
que sorriu pouco em muito.
que vive sorrindo muito.
mulher de vinte e poucos.
que sofre, ama e não cansa.
de buscar dias melhores,
dias mais felizes.
menina mulher que não cansa.
de sonhar. de viver. de sorrir.
de confiar. de ter fé.
mulher menina que muito em pouco
fez pouco de muito.
e agora é rainha mesmo
não sendo majestade.

menina moça mulher do naipe coração.



Correio Real mensageirodecopas@gmail.com

A Rainha no Twitter @ReinodoCoracao

A Rainha no Orkut:
 Perfil 

A Rainha no Twitter @ReinodoCoracao

A Rainha no Facebook
 Perfil da Rainha

O Reino no Facebook
 Curtir o Reino

Súditos
 . A Rua Dos Contos 
 . Elísios 
 . Florbela Espanca 
 . Bobo da Corte 
 . Escudeiro da Rainha de Copas 
 . Cavaleiro Real 

Era uma vez

.Maio 2006

.Junho 2006

.Julho 2006

.Agosto 2006

.Setembro 2006

.Outubro 2006

.Novembro 2006

.Dezembro 2006

.Janeiro 2007

.Fevereiro 2007

.Março 2007

.Abril 2007

.Maio 2007

.Junho 2007

.Julho 2007

.Agosto 2007

.Setembro 2007

.Outubro 2007

.Novembro 2007

.Dezembro 2007

.Janeiro 2008

.Fevereiro 2008

.Março 2008

.Abril 2008

.Fevereiro 2009

.Março 2009

.Abril 2009

.Maio 2009

.Junho 2009

.Julho 2009

.Setembro 2009

.Novembro 2009

.Dezembro 2009

.Janeiro 2010

.Fevereiro 2010

.Março 2010

.Abril 2010

.Maio 2010

.Junho 2010

.Julho 2010

.Agosto 2010

.Setembro 2010

.Outubro 2010

.Novembro 2010

.Dezembro 2010

.Janeiro 2011

.Fevereiro 2011

.Março 2011

.Abril 2011

.Maio 2011

.Junho 2011

.Julho 2011

.Agosto 2011

.Setembro 2011

.Outubro 2011

.Novembro 2011

.Dezembro 2011

.Janeiro 2012

.Fevereiro 2012

.Março 2012

.Abril 2012

.Junho 2012

.Julho 2012

.Agosto 2012

.Setembro 2012

.Outubro 2012

.Dezembro 2012

.Janeiro 2013


A Rainha Agradece
.Layout: Liannara
.Hospedagem:Blogger
.Comentários: Haloscan
.Imagem: Flickr